História da Apalca

A Academia Palmeirense de Letras, Ciências e Artes (APALCA), fundada em 21 de Junho de 2000, teve a posse de seus dezessete (17) membros efetivos em 18 de agosto de 2001, em Sessão Solene realizada no auditório Dom Fernando Iório, no Centro de Treinamento da Diocese, em Palmeira dos Índios. A primeira Diretoria, cujo Presidente, Antônio Melo de Almeida (Padre Motinha) dirigiu a instituição de 2002 até maio de 2004, afastando-se para candidatura a vereador, e assumindo interinamente a Vice-Presidente Isvânia Marques, até o final do mandato acadêmico.

CONCURSOS DE PROSA E VERSO

Em 2002, a Academia realiza o I CONCURSO PROSA E VERSO MESTRE GRAÇA (durante o ANOGRACILIANO promovido pelo Governo do Estado de Alagoas), numa homenagem ao seu Paraninfo Perpétuo, Graciliano Ramos. Em 26 de outubro, aconteceu a entrega dos troféus aos clasificados (na Casa Museu Graciliano Ramos), quando foi lançada a primeira antologia, reunindo os trabalhos vencedores. Apoio cultural da Imprensa Oficial do Estado.

Três anos depois, em 2005, foi considerada de Utilidade Pública Municipal e Estadual, conforme divulgação nos Diários Oficiais do Município e do Estado.

Ainda nesse mesmo ano, a Academia lança o II CONCURSO PROSA E VERSO LUIZ TORRES, nome de seu Patrono Perpétuo, o historiador palmeirense “de coração”, com difusão estadual, contando com apoio da Fundação Municipal de Ação Cultural (de Maceió), do Banco do Brasil e Unimed (regional Palmeira dos Índios), além da FACESTA local, patrocinadora da Antologia. A culminância do evento foi, ainda, na Casa Museu Graciliano Ramos.

Agora, em 2008, resolve esta Academia homenagear o romancista palmeirense, Adalberon Cavalcanti Lins, em seu III CONCURSO PROSA E VERSO, desta feita apenas para seu município e pessoas que nele estudam ou residem.

FINALMENTE, A SEDE ACADÊMICA

Sem sede oficial, os acadêmicos faziam suas reuniões na Câmara de Vereadores, no Palácio Episcopal (na maioria das vezes) e em casa do Tesoureiro Byron Torres (falecido em 01/01/2006).

Em 2005, o bispo diocesano Dom Fernando Iório (também sócio efetivo da Academia), cedeu a sala nº 01 do Centro de Treinamento da Diocese (antigo Colégio Pio XII) à entidade das Letras, a fim de que fossem realizadas as atividades acadêmicas. Sem algum mobiliário, recebe doações do comércio local e entidades da capital (SESC, SENAC e Cx. Econômica), conseguindo mobiliários e equipamentos (em condições de uso), livros, além de outros itens necessários ao andamento desse sodalício.

Em novembro de 2006, na Sala de Despacho do Palácio Floriano Peixoto, o governador interino, Luís Abílio Sousa Neto, assinou, juntamente com a Presidenta Efetiva Isvânia Marques, o contrato que concedia à Academia Palmeirense de Letras, Ciências e Artes o prédio situado à Rua Major Cícero de Góes Monteiro, 79, centro da cidade, sob os testemunhos do acadêmico Jorge Tenório (Tesoureiro da APALCA), escritora Nadir Barbosa (Presidenta do Conselho Estadual de Educação), desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento e o jornalista Pedro de Oliveira. No dia 06 de dezembro do mesmo ano, saiu a divulgação dos termos no Diário Oficial do Estado.

17 de Agosto de 2007, data da inauguração da sede acadêmica, com a bênção às instalações pelo bispo emérito Dom Fernando Iório. O espaço do salão anexo, que se comunica com a Rua José e Maria Passos, foi designado para leittura e denominado SALA DE LEITURA BYRON TORRES.

SEGUNDA POSSE ACADÊMICA

Em Agosto de 2006, tomam posse mais quatro Sócios Efetivos, além de Honorários e Correspondentes, no auditório do Centro de Treinamento da Diocese, com caravanas culturais da capital alagoana, Arapiraca e Penedo, sendo os novos sócios saudados pelo orador oficial Dr. Ivan Vieira de Barros.

Durante a solenidade, foi lançada a antologia intitulada ESTUDO BIOGRÁFICO DOS PATRONOS E ACADÊMICOS (com base em pesquisas de Byron Torres além dos dados pessoais concedidos por cada sócio efetivo), com apoio editorial da Imprensa Oficial do Estado- CEPAL.

TERCEIRA POSSE ACADÊMICA

Com a reforma do Estatuto Acadêmico, aprovada em reunião do dia 30 de Agosto de 2008, foi ampliado o número de Cadeiras dos Patronos, totalizando 30 (trinta), homenageando outras figuras notáveis de nossa sociedade palmeirense, assim como nomeados novos acadêmicos. A posse aconteceu em 23 de outubro, durante Sessão Magna, na AABB local.